Entre em contato conosco
(11) 2928-4923
0Item(s)

Nenhum produto no carrinho.

Product was successfully added to your shopping cart.
Anterior

A Melhoria Rápida da qualidade nas organizações de saúde

Anterior

Desafios da inclusão digital: toria, educação e políticas públicas

Contribuições à história da historiografia luso-brasileira

Descrição Rápida

Código: 9788564806505
Editora: HUCITEC
Autores: Ana Rosa Cloclet, Fernando Nicolazzi, Mateus Pereira
Edição: 1.ª
Disponibilidade: Sob encomenda

Detalhes

Onde começa a História da Música Brasileira? Com a tradição européia, que aqui aporta a partir dos primeiros anos da colonização portuguesa? Com as raízes musicais africanas, tragicamente transplantadas para a realidade cultural brasileira a partir do estabelecimento da escravidão negra no Brasil Colonial. Ou muito antes, com as melodias e sonoridades produzidas pelos primeiros moradores destas terras, logo chamados de “povos indígenas” pelos invasores europeus? E quanto ao seu futuro? Esta realidade musical brasileira, com tantos começos entrelaçados, para onde caminha, e como caminha? Como constrói e reconstrói a si mesma ao longo desta caminhada? Diante desta complexa realidade musical, de que forma os brasileiros tomam conhecimento das próprias dimensões que o constituem? Apresente obra – parte inicial de um estudo sobre o Brasil e sua música – pretende introduzir precisamente uma reflexão crítica sobre as raízes culturais da música brasileira. Procura-se avaliar a identidade musical brasileira com base em suas três principais dimensões: “a música dos índios brasileiros”, “a componente afro-brasileira” e “a contribuição euro-brasileira”. O capítulo sobre “a contribuição euro-brasileira” está organizado sob a forma de uma síntese histórica dos estilos de época que se sucederam desde o Brasil de período colonial até o início do século XX. Interrompe-se aí, no ponto em que irá se iniciar a segunda parte desta obra, intitulada “Nacionalismo e Modernismo”, e que corresponde aos desenvolvimentos da música erudita brasileira no século XX. Com este e o próximo volume, almeja-se abranger a história da música brasileira no chamado âmbito da “musica erudita”, mas discutindo-se também os critérios que permitem ou que impedem uma distinção mais clara entre o “popular” e o “erudito”.

Informação Adicional

Descrição Resumida Onde começa a História da Música Brasileira? Com a tradição européia, que aqui aporta a partir dos primeiros anos da colonização portuguesa? Com as raízes musicais africanas, tragicamente transplantadas para a realidade cultural brasileira a partir do estabelecimento da escravidão negra no Brasil Colonial. Ou muito antes, com as melodias e sonoridades produzidas pelos primeiros moradores destas terras, logo chamados de “povos indígenas” pelos invasores europeus? E quanto ao seu futuro? Esta realidade musical brasileira, com tantos começos entrelaçados, para onde caminha, e como caminha? Como constrói e reconstrói a si mesma ao longo desta caminhada? Diante desta complexa realidade musical, de que forma os brasileiros tomam conhecimento das próprias dimensões que o constituem? Apresente obra – parte inicial de um estudo sobre o Brasil e sua música – pretende introduzir precisamente uma reflexão crítica sobre as raízes culturais da música brasileira. Procura-se avaliar a identidade musical brasileira com base em suas três principais dimensões: “a música dos índios brasileiros”, “a componente afro-brasileira” e “a contribuição euro-brasileira”. O capítulo sobre “a contribuição euro-brasileira” está organizado sob a forma de uma síntese histórica dos estilos de época que se sucederam desde o Brasil de período colonial até o início do século XX. Interrompe-se aí, no ponto em que irá se iniciar a segunda parte desta obra, intitulada “Nacionalismo e Modernismo”, e que corresponde aos desenvolvimentos da música erudita brasileira no século XX. Com este e o próximo volume, almeja-se abranger a história da música brasileira no chamado âmbito da “musica erudita”, mas discutindo-se também os critérios que permitem ou que impedem uma distinção mais clara entre o “popular” e o “erudito”.
ISBN13 9788564806505
ISBN10 Não
Edição 1.ª
Autores Ana Rosa Cloclet, Fernando Nicolazzi, Mateus Pereira
Total de Páginas 463
Peso sem embalagem 520
Formato do Produto Não
Volume Não
Faixa Etária + de 18
Acabamento Brochura
Ano Edição 2014
Idioma Português
Origem Não
Selo Estudos históricos
Tamanho da Letra Não
Tradução Não
Prazo de Disponibilização 7

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

  1. Seja o primeiro a avaliar este produto

Queremos saber sua opinião