Entre em contato conosco
(11) 2928-4900
0Item(s)

Nenhum produto no carrinho.

Product was successfully added to your shopping cart.

Como as democracias morrem

Descrição Rápida

Código: 9788537818008
Editora: JORGE ZAHAR
Autores: Levitsky,Steven; Ziblatt,Daniel
Edição:

Detalhes

Uma análise crua e perturbadora do fim das democracias em todo o mundo Democracias tradicionais entram em colapso? Essa é a questão que Steven Levitsky e Daniel Ziblatt - dois conceituados professores de Harvard - respondem ao discutir o modo como a eleição de Donald Trump se tornou possível. Para isso comparam o caso de Trump com exemplos históricos de rompimento da democracia nos últimos cem anos: da ascensão de Hitler e Mussolini nos anos 1930 à atual onda populista de extrema-direita na Europa, passando pelas ditaduras militares da América Latina dos anos 1970. E alertam: a democracia atualmente não termina com uma ruptura violenta nos moldes de uma revolução ou de um golpe militar; agora, a escalada do autoritarismo se dá com o enfraquecimento lento e constante de instituições críticas - como o judiciário e a imprensa - e a erosão gradual de normas políticas de longa data. Sucesso de público e de crítica nos Estados Unidos e na Europa, esta é uma obra fundamental para o momento conturbado que vivemos no Brasil e em boa parte do mundo e um guia indispensável para manter e recuperar democracias ameaçadas.

Informação Adicional

Descrição Resumida Uma análise crua e perturbadora do fim das democracias em todo o mundo Democracias tradicionais entram em colapso?
ISBN13 9788537818008
ISBN10 Não
Edição Não
Autores Levitsky,Steven; Ziblatt,Daniel
Total de Páginas 272
Peso sem embalagem Não
Formato do Produto 23x16
Volume Não
Faixa Etária Não
Acabamento Brochura
Ano Edição 2018
Idioma Português
Origem Brasil
Selo Jorge Zahar
Tamanho da Letra Não
Tradução Não
Prazo de Disponibilização Não

Tags do Produto

Use espaços para separar as tags. E aspas simples (') para frases.

  1. Seja o primeiro a avaliar este produto

Queremos saber sua opinião